25 novembro 2005

As Intermitências da Morte - josé saramago



O novo livro de josé saramago ( ele escreve Deus a pequeno) já está nas livrarias, pronto a ser consumido.
Não gosto da forma como escreve, mas gosto muito das histórias que cria com a sua “pena”. Desta vez, o nosso prémio Nobel, apresenta-nos um país, onde a morte desistiu de trabalhar. Só não é o nosso país porque é monárquico (ou será um sonho do escritor “comuna”, acabar com a eleição de um “Rei” de 5 em 5 anos?).
Como podem sobreviver o estado (reformas eternas), a igreja (sem morte não há ressurreição), a industria dos caixões?
Saramago leva-nos pela sua mão a meditar sobre a vida, o amor, a morte. As coisas boas e más têm que existir, só lhes damos valor na sua ausência, mesmo á morte.
Ainda não acabei, tenho que ler devagar, ele escreve daquela forma peculiar de nunca nos informar quando alguém entra em discurso directo. O Tavares é que tem razão, a professora primária é que foi a culpada.
Leiam que vale a pena, eu estou a meio e vou-me rindo sozinho.


Nota: Coloquei um link para o "site" do José Saramago mas a página está desatualizada

PS – Quanto ao livro do José Rodrigues dos Santos, que comentei no fim do mês passado, vale mesmo a pena.



Enviar um comentário