01 dezembro 2007

Vamos levantar o pó

Estou sem sono e como não me apeteceu ir ao NB vim para aqui escrever porcarias, por vezes maço inocentes com bombardeamentos a velhos castelos, mas desta vez não (estou lúcido porque como conduzia fui obrigado a aguar).
A ideia é limpar o poder instituído sem qualquer corte epistemológico e reconstruir tudo novamente. Estes alicerces já não suportam a estrutura e, antes que tudo se desmorone, vale a pena utilizarmos a dinamite colocado estrategicamente para que a queda seja controlada. Desta forma teremos a verdadeira revolução e a laceração é total
.
Depois de as cinzas assentarem, é sobre estas que surgirão (como a Fénix) novos conceitos de poder; segurança; participação; distribuição; etc. – Tudo o que agora é tido como certo poderá nunca mais o ser.
O plano é apresentado amanhã ao amigo que cultiva azeite de pinheiro manso (cá está uma revolução - mini) com recurso aos grandes avanços científicos na área do genoma das oleáceas.
Vamos necessitar da ajuda do grande Mitra para levantar as forças do sol, o Natal sempre foi dele - o "nascimento do deus sol invencível".
O mais importante é que enquanto houver uma pedra ao alto não nos vamos nós abaixo (eu sou baixo).
Enviar um comentário