30 junho 2007

Encontro dos Antigos Alunos do Seminário de Gouveia



Tive o prazer de ir ao encontro dos antigos alunos do Seminário de Gouveia. Aquela casa branca de arquitectura moderna traz-me boas recordações, outras menos boas, mas hoje foi dia de festa só posso vasculhar na memória das coisas positivas (ainda que eu não seja positivista).
Da rapaziada do meu ano e, com grande pena minha, só aparecemos quatro (o Quim Zé, o Zé Luis, o Carlos Abrantes, o Abreu e o “Je”). Eu que devo ser o gajo que levou com mais castigos para lavar a loiça e outras coisas que actualmente os defensores dos direitos das crianças nem podiam imaginar que existiam (e cresci e deitei corpo) lá fui, agora até já faço parte do conselho fiscal da associação dos antigos alunos e, aquela malta que só dizia bem do seminário e dos alegres momentos que lá viveu “nem burro queres tu água”. Para o próximo ano vou martelar até encontrar a morada desses faltosos e não descanso enquanto não os vir por lá, nem que tenha quer fugir com o ficheiro dos Sr. Maurício (homem que me chegou a vender dois compasso por mês).





Podem já começar a prepara-se porque vai haver um magusto no dia 10 de Novembro e como o principal mentor é o “lipi” vai ser no “Curral do Negro”. O dinheiro do magusto, assim como o que se consegue nestes encontros é para ser utilizado em África onde os missionários de S. João Baptista, vulgo seminário de Gouveia, têm uma missão.





PS – Foi engraçado poder beber vinho tinto naquelas mesas onde nem álcool para as feridas podia entrar, assim como ver uma máquina de lavar loiça onde eu lavei centenas de pratos, copos e talheres à mão.
Enviar um comentário