25 maio 2009

Nunca mais "deito" até ser livre

Este ano tirei o Cartão do Cidadão. Facilita a vida porque passamos a ter num único cartão o número do BI, Contribuinte, Segurança Social, Utente e Eleitor. Nunca me vão explicar porque raio o número não há-de ser o mesmo para tudo.

Com o meu novo Cartão de Cidadão passei a ser obrigado (sim! Democraticamente obrigado) a votar em Mangualde e não na Chãs de Tavares onde sempre cumpri o meu dever cívico. Se eu quisesse votar em Mangualde já tinha mudado o meu local de recenseamento há muito tempo. Como o estado se intromete na minha vida cívica e me muda o que eu nunca quis alterar, a partir de agora vou ser dos abstencionistas crónicos. Talvez abra uma pequena excepção para as eleições autárquicas...
Houve muita gente a lutar e perderam-se muitas vidas para termos o direito de votar em quem nos governe, mas a minha liberdade de escolha é cada vez mais ténue e a cada dia sinto que sou só mais um carneiro do rebanho, ninguém me representa e quer vote ou não “eles” vão continuar todos por lá a dizerem-me onde e em quem hei-de votar. Vou poupar-lhes trabalho – Nunca mais voto até ser livre de estar recenseado onde eu quiser deitar.
Enviar um comentário